NOVA EVANGELIZAÇÃO

«NOVA EVANGELIZAÇÃO NA CIDADE»

– UM SINAL DA IGREJA PARA A EUROPA

 

 

 

D. Nuno Brás

Bispo Auxiliar de Lisboa

 

 

 

A “Nova Evangelização na cidade”, ou “Missio Metropolis”, é uma iniciativa do Conselho Pontifício para a Nova Evangelização que procura “irmanar” em algumas iniciativas quaresmais 12 grandes cidades europeias: Paris, Budapeste, Bruxelas, Viena, Liverpool, Dublin, Turim, Barcelona, Frankfurt, Zagreb, Varsóvia e Lisboa.

 

Trata-se, em primeiro lugar, de dar à Europa um sinal de unidade. No tempo litúrgico da Quaresma, “tempo forte” para a espiritualidade cristã, doze grandes metrópoles (o número “doze” é simbólico, tal como é simbólico o facto de as cidades escolhidas se encontrarem dispersas pelas várias áreas do continente europeu) mostram que a “alma cristã” da Europa continua a ser uma realidade. Não se trata de uma uniformização (cada diocese convidada concretiza a seu modo, e de acordo com as realidades locais, as diferentes propostas), mas de um conjunto de ações que possam irmanar a todos no anúncio do Evangelho.

Assim, quando muitos falam na desagregação europeia – e quando a sua própria realidade cultural não deixa de apontar para uma “fragmentação” (mesmo que a União Europeia continue a ser uma realidade económica e política, e que o “Euro” sobreviva a todos os ataques dos “mercados”, a realidade cultural, os valores pelos quais os europeus se regem, aponta para uma “fragmentação” da existência) – pretende-se mostrar que Jesus Cristo continua a ser um pólo de união das diversas realidades culturais e cristãs europeias.

Os gestos propostos não pretendem propriamente arrastar consigo multidões, ainda que sejam significativos. Assim, assumiu-se como ponto de partida a catedral, partindo do princípio que cada Bispo é, na sua diocese, o primeiro evangelizador – e, portanto, que da catedral deve partir, mesmo fisicamente, o anúncio do Evangelho. Deste modo, nas diferentes dioceses assumem um destaque central as catequeses quaresmais.

 

Em Lisboa, ao contrário do que sucedia nalgumas das cidades que aceitaram fazer parte da “Missio Metropolis”, como aquelas catequeses já eram um “ponto de encontro” habitual para muitos cristãos com o ensino do Cardeal Patriarca nas tardes dos seis domingos da Quaresma (18h), para além das três catequeses propostas pelo Conselho Pontifício (aos catecúmenos, às famílias e aos jovens), o Senhor Patriarca falará ainda aos agentes culturais, aos obreiros da solidariedade e da caridade, e aos responsáveis pela construção da comunidade. São momentos que todos podem também acompanhar em direto através da Internet (www.missaometropoles.org), seja individualmente seja em grupo, e para os quais todos se podem preparar através de um texto que é publicado antecipadamente e dos vídeos gravados pelo Cardeal Patriarca que introduzem as diversas catequeses quaresmais.

Para além deste particular ensino do Bispo diocesano, é ainda central na proposta do Conselho Pontifício a celebração do sacramento da penitência ao longo da Quaresma. Se já era um facto que, por toda a diocese de Lisboa, os sacerdotes dedicavam ao longo da Quaresma mais tempo ao acolhimento de penitentes, procurou-se reforçar esse mesmo serviço, seja na catedral e noutras igrejas da cidade, seja em vários locais mais centrais de toda a diocese, com jornadas penitenciais, cujos horários podem também ser consultados na já referida página da net.

Depois, o Conselho Pontifício para a Nova Evangelização propôs igualmente que houvesse um gesto diocesano de solidariedade. Também aqui em Lisboa – como, aliás, noutras dioceses do país – já existia a tradição da “renúncia quaresmal”, que se enquadra na proposta. Este ano, como é conhecido depois da publicação da mensagem quaresmal do Cardeal Patriarca, a renúncia diocesana de Lisboa terá como objetivo o apoio a pessoas (e mais particularmente a famílias) que se encontram em dificuldades por causa da presente situação de crise que o país está a atravessar (aliás, outras dioceses que integram o grupo da “Nova Evangelização na cidade” também assumiram este mesmo objetivo, como é o caso de Barcelona). Recolhida no Domingo de Ramos e entregue pelas diferentes paróquias e movimentos à Cáritas diocesana, o fruto da renúncia e da penitência dos cristãos da diocese ficará de imediato, segundo a solicitação do pároco, à disposição dos organismos que, nas diversas comunidades, têm a responsabilidade de acolher os mais necessitados, de modo a poder obviar às situações mais urgentes.

Entretanto, duas outras iniciativas estão a ser preparadas, de acordo com a proposta do Conselho Pontifício para a Nova Evangelização. Uma primeira, essencialmente dirigida àqueles que procuram Deus, terá lugar na igreja do Sagrado Coração de Jesus, no dia 24 [de Março] às 16 h. Será constituída pela leitura de extratos das “Confissões” de Santo Agostinho (que relatam a sua procura interior, realizada ao longo de vários anos, até ao encontro com Jesus Cristo), intercaladas por momentos musicais. A leitura está a cargo de Júlio Martin e do grupo “Teo – Teatro do ourives”, e os momentos musicais a cargo de Rão Kyao. Depois, no II Domingo da Páscoa, na Sé Patriarcal, às 16h, terá lugar a leitura integral do evangelho de S. Marcos, intercalada com momentos de canto gregoriano.

A iniciativa do Conselho Pontifício foi, entretanto, acolhida por outras diferentes cidades que, mesmo não fazendo parte do grupo inicial, já nesta Quaresma quiseram dar este sinal, e tudo indica que, no próximo ano o grupo de cidades se alargue a várias outras metrópoles, eventualmente 72, no que poderá constituir um movimento espiritual significativo para o nosso “Velho Continente”.

 

 

 


Imprimir | Voltar atrás | Página Inicial